Jandaienses cogitam fechar rodovia exigindo melhorias na BR-376

Após os  acidentes com vítimas fatais, população têm exigido ações que gerem mais segurança aos usuários.

Acidentes de trânsito registrados recentemente no trevo de Jandaia do Sul, localizado na BR-376, próximo à Emater, têm preocupado a população do município que, novamente, exige melhorias no local. No dia 31 de agosto, um motociclista de 31 anos acabou falecendo após ter sido atingido pelo condutor de uma Ford Pampa, no momento em que este cruzava a rodovia. No dia 29 de outubro, situação parecida: motociclista que seguia sentido a Apucarana acabou sendo atingido pelo condutor de um Volkswagen Saveiro, no momento em que o utilitário foi atravessar a pista. Neste caso, o motociclista ficou gravemente ferido. Já no dia 5 de novembro, um motociclista entrou em óbito ao colidir de frente com um caminhão próximo ao mesmo trevo.

Há muitos anos, a população do município reivindica às autoridades competentes, como Prefeitura Municipal, Viapar (que é a administradora da rodovia), Polícia Rodoviária Federal (PRF), Câmara de Vereadores e Departamento de Estradas de Rodagem (DER), medidas que gerem mais segurança aos usuários – tanto condutores, quanto ciclistas e pedestres que precisam atravessar a rodovia.

No dia 6 de maio deste ano, houve uma primeira reunião com a presença do prefeito de Jandaia do Sul, Benedito José Pupio (PSC), a procuradora jurídica do município, Maria José Heckert Mello, a advogada do DER, Maria Lúcia Sanches Foltran, o engenheiro do DER, Carlos Guilherme Pittarello dos Santos, a advogada da Viapar, Vanessa Mozelle Pinheiro, o gerente de Obras da Viapar, Antonio Clareti Benatte Valente, e a promotora de Justiça da Comarca, Fernanda Lacerda Trevisan Silvério. Nessa reunião, o DER comprometeu-se a apresentar um estudo técnico dos cruzamentos da BR-376 com a Avenida Tancredo Neves (ao lado do Panela de Pedra), Rua Souza Naves (próximo à Emater), Rua Faustino Bulgarão (próximo ao Auto Posto Vila Rica) e Avenida Paraná, (próximo ao Jardim das Araucárias).

No dia 14 de novembro, a Câmara de Vereadores se reuniu com o inspetor da Polícia Rodoviária Federal, Pedro Faria. Os vereadores pensavam em realizar um manifesto pacífico próximo à Emater, com o apoio das autoridades responsáveis, como forma de reivindicar medidas de segurança no local. A manifestação estava prevista para ocorrer no fim de novembro, mas ainda não é dada como certa.

De acordo com o engenheiro do DER, Carlos Guilherme Pittarello dos Santos, o estudo já foi apresentado ao Ministério Público contendo as definições da construção de um monitor indicativo de velocidade no cruzamento da BR-376 com a Avenida Paraná, na saída para Apucarana. O equipamento é semelhante ao que já existe na PR-444, entre Mandaguari e Arapongas.

“Fizemos o estudo técnico nos quatro cruzamentos. No primeiro trevo [próximo à Sociedade Rural do Vale do Ivaí], os motoristas se conscientizaram após a instalação do radar. No trevo da Emater, em linhas gerais, os motoristas também respeitam, em sua maioria, os limites de velocidade. No cruzamento da Rua Faustino Bulgarão, os motoristas também não excedem os limites. Mas no último trevo, sentido Apucarana, os motoristas têm passado dos limites algumas vezes. É que a geografia da estrada, naquele local, é propícia para isso. Tanto de quem vai de Jandaia para Apucarana quanto de Apucarana para Jandaia, há uma grande decida naquele local”, explica Santos.

O jandaiense Anderson Soares é morador do Jardim Planalto e passa pelo trevo da Emater todos os dias. Para ele, é necessária atenção especial para esse trecho de grande movimento. “O local sempre foi perigoso. Poderiam instalar um redutor de velocidade e uma passarela por ali”, opina.

De acordo com o vereador Milton Lopes (PV), quebra-molas, passarela, redutor de velocidade e semáforos são medidas paliativas. “Não adianta instalarmos um equipamento para resolver um problema, mas que vai nos gerar outro, como é o caso da passarela. O usuário que vai passar à noite por lá, vai ficar com medo e passar pela pista do mesmo jeito. A medida mais efetiva é a construção do contorno”, defende o vereador.

Segundo Vanessa, advogada da Viapar, a empresa possui convênio com as polícias rodoviárias Estadual e Federal, bem como com o DER, com a finalidade de aparelhamento e que tal verba, caso haja concordância entre PRF e DER, poderá ser utilizada para a aquisição dos equipamentos redutores de velocidade.

Uma nova reunião entre representantes de todos os órgãos foi agendada para esta terça-feira (22), no Fórum da Comarca de Jandaia do Sul. Esse encontro contará também com a presença do chefe da 7ª Delegacia da Polícia Rodoviária Federal (PRF), com sede em Londrina, Marcos Pierre Vespermann Carvalho, que abrange as regiões Norte e Nordeste do Paraná.

 

Fonte: Portal Agora

 

Categorias: Jandaia